Ser Escritor

Blog Ser Escritor - Este blog tem por objetivo divulgar as obras literárias do Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira, proporcionar debate sobre as mesmas, abordar os temas tratados pelo autor em seus livros e apresentar dicas e informações para quem está querendo ser escritor. Ao final de cada postagem, clique nos marcadores para ter acesso a outras sobre o mesmo tema. Deixe seus comentarios aos posts, é simples, não é difícil. Você é bem vindo!

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Silvério da Costa Oliveira é Doutor (PhD) e Mestre em Psicologia; Psicólogo, Bacharel em Psicologia, Bacharel em Filosofia, possui a Licenciatura Plena em Psicologia e a Licenciatura Plena em Filosofia, possui a Licenciatura pelo MEC em História e Sociologia, autor de vários livros e artigos, conferencista. Sua formação está estruturada sobre três pilares: a Filosofia, a História e a Psicologia.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Livro publicado: "Criatividade, inovação e controle nas organizações de trabalho"



Livro: Criatividade, inovação e controle nas organizações de trabalho.
Autor: Silvério da Costa Oliveira.
Você pode comprar impresso em papel  no formato A5 (14,8 x 21,0 cm) o livro em sua segunda edição no site do “Clube de autores” ou diretamente no link do livro:



Abaixo, informações sobre o conteúdo do livro:

Sumário do livro

Dedicatória
Agradecimentos
Epígrafe
Resumo
Abstract
Resumé
Lista de ilustrações
Lista de tabelas
Prefácio
Palavras iniciais do autor

1 INTRODUÇÃO

1.1       Tema/Assunto
1.1.1 Título
1.2       Delimitação
1.3       Justificativa
1.3.1 Pertinência e importância do estudo
1.3.2 Relevância
1.3.2.1 Relevância científica
1.3.2.2 Relevância social
1.3.3 Interesse
1.3.4 Viabilidade
1.4       As fontes

2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
2.1 Aspectos históricos do estudo da criatividade
2.1.1 Introdução
2.1.2 A conceituação e características do fenômeno criatividade
2.1.3 Abordagens clássicas
2.1.3.1 Modelo teórico da estrutura do intelecto e criatividade
2.1.3.2 A criatividade pelo prisma da Psicanálise
2.1.3.3 A criatividade pelo prisma da Gestalt
2.1.3.4 A psicologia Existencial Humanista e a questão da criatividade
2.1.4 Alguns autores brasileiros de destaque
2.1.5 Outros autores de destaque sobre o tema da criatividade
2.1.6 O processo criativo esquematizado por autores

2.2 A criatividade e os atributos individuais
2.2.1 Introdução
2.2.2 Criatividade e personalidade: aspectos individuais
2.2.3 A fisiologia do cérebro e a criatividade
2.2.4 O pensamento e a criatividade
2.2.5 Inteligências múltiplas e criatividade: modos distintos de ser criativo
2.2.6 Desenvolvimento da personalidade e exercício da criatividade
2.2.6.1 Desenvolvendo características propícias a criatividade
2.2.6.2 Sociedade e família
2.2.6.3 Produzindo idéias criativas

2.3 Cultura e grupos diante da criatividade e inovação:
Uma relação dramática, mas inevitável
2.3.1 Introdução
2.3.2 Barreiras ao exercício da criatividade e inovação
2.3.3 Filosofia
2.3.4 Sociedade e cultura
2.3.5 Grupos e inovação
2.3.6 Ambiente propício a criatividade
2.3.7 Entendendo e desenvolvendo a criatividade e inovação

2.4 A criatividade e a educação
2.4.1 Introdução
2.4.2 Desenvolvimento de testes para a criatividade
2.4.3 O desenvolvimento da criatividade

2.5 A criatividade nas organizações
2.5.1 Introdução
2.5.2 Algumas características do campo organizacional
2.5.3 Ergonomia, trabalho e criatividade
2.5.3.1 Erro humano
2.5.3.2 Acerto humano
2.5.4 Criatividade no grupo, cultura e clima organizacional
2.5.5 Criatividade: controle e poder
2.5.5.1 Criatividade e controle: Um dilema das organizações
2.5.5.1.1 Introdução
2.5.5.1.2 Uma abordagem psicanalítica das organizações
2.5.5.1.3 Interesses e dinâmica organizacional
2.5.5.1.4 A cultura organizacional
2.5.5.1.5 A racionalidade burocrática e a dinâmica organizacional
2.5.5.1.6 A organização e a instituição
2.5.5.1.7 A organização e a história
2.5.5.1.8 A organização e a complexidade
2.5.6 Gerenciamento e desenvolvimento da criatividade
e inovação nas organizações modernas: Uma opção,
ou, uma necessidade de sobrevivência
em um mercado conturbado?
2.5.6.1 Introdução
2.5.6.2 Fatores ambientais e sua repercussão na
criatividade e inovação nas organizações
2.5.6.3 Gerenciamento da inovação nas organizações
2.5.6.4 Gerenciamento da criatividade e inovação
diante do lúdico, dos jogos e do uso do computador
2.5.6.5 Gerenciando a personalidade criativa
2.5.6.6 Desenvolvimento da criatividade e crítica social

2.6 A criatividade frente aos instrumentos manipulatórios do poder (IMP): Um desafio organizacional
2.6.1 Introdução
2.6.2 Sobre o poder e a criatividade: Início de um debate
2.6.3 Sobre o poder e a autoridade
2.6.4 Dominação, medo e religiosidade
2.6.5 Estado, sociedade e grupos
2.6.6. Liderança e política
2.6.7 Igualdade, fraternidade e liberdade
2.6.8 A pulverização do poder
2.6.9 A luta pelo poder

2.7 Criatividade e virtual: A emergência do virtual e a decadência do real
2.7.1 Introdução
2.7.2 Real e virtual a par com a evolução do pensamento
2.7.3 Real e virtual na visão de Baudrillard
2.7.4 Real e virtual na visão de Lévy
2.7.5 Real e virtual a par com o cinema
2.7.6 Real e virtual a par com a criatividade

2.8 Conclusões parciais

3 METODOLOGIA

3.1 Modelo de pesquisa
3.1.1 Limitação e delimitação do estudo
3.2 Problema
3.3 Hipóteses
3.4 Variáveis
3.5 População e amostra
3.5.1 O campo pesquisado: uma organização militar
3.5.1.1 Hierarquia de comando
3.6 Objetivos
3.6.1 Objetivo geral
3.6.2 Objetivos específicos
3.7 Plano operacional
3.7.1 Instrumentos
3.7.2 Coleta e análise dos dados
3.7.3 Organização do material
3.8 Definição de termos e conceitos

4 RESULTADOS
4.1 Quartel 1: Tendências no instrumento quantitativo: ICC
4.1.1 Fator por fator no ICC para cada grupo
4.1.1.1 Praças da prontidão
4.1.1.1.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.1.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.2 Oficiais
4.1.1.2.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.2.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.3 Cadetes
4.1.1.3.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.3.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalh
4.1.1.4 Docentes
4.1.1.4.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.1.4.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalho
4.1.2 Todos os grupos de guadalupe em comparação
4.1.3 Comentários ao ICC a partir da observação de campo
e entrevistas informais
4.2 Quartel 1: Tendências nos instrumentos qualitativos
4.2.1 Entrevistas escritas
4.2.2 Grupos focais
4.2.3 Entrevistas individuais
4.2.4 Observação e entrevistas informais não gravadas
4.2.5 Observação de campo
4.2.6 Resultado das categorizações das falas
4.2.6.1 Análise das falas dentro das categorizações
4.2.7 Narrativas sobre criatividade e ações divergentes
4.3 quartel 2: Tendências no instrumento quantitativo: ICC
4.3.1 Fator por fator no ICC para cada grupo
4.3.1.1 Praças da prontidão
4.3.1.1.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.3.1.1.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalho
4.3.1.2 Oficiais
4.3.1.2.1 Barreiras à criatividade no ambiente de trabalho
4.3.1.2.2 Estímulos à criatividade no ambiente de trabalho
4.3.2 Todos os grupos de niterói em comparação
4.3.3 Comentários ao ICC a partir da observação de campo
e entrevistas informais
4.4 Quartel 2: Tendências nos instrumentos qualitativos
4.4.1 Entrevistas escritas
4.4.2 Grupos focais
4.4.3 Entrevistas individuais
4.4.4 Observação e entrevistas informais não gravadas
4.4.5 Observação de campo
4.4.6 Resultado das categorizações das falas
4.4.6.1 Análise das falas dentro das categorizações
4.4.7 Narrativas sobre criatividade e ações divergentes

5. CONCLUSÃO
5.1 SUGESTÕES

BIBLIOGRAFIA

APÊNDICES

Apêndice A – Soluções para o problema dos nove pontos
Apêndice B – Amostra total e suas divisões
Apêndice C – ICC questões por fatores
Apêndice D – Categorias de análise do instrumento qualitativo
Apêndice E – Instrumento qualitativo: roteiro para as entrevistas
Apêndice F – Termo de consentimento livre e esclarecido

ANEXOS
Anexo A – Instrumento quantitativo ICC
Anexo B – Estrutura fatorial do ICC
Anexo C – Dados biográficos revistos

Resumo do livro Criatividade, inovação e controle nas organizações de trabalho

O livro tem como tema central a criatividade e a inovação dentro de organizações de trabalho, de onde a importância do controle, sempre presente. O objetivo foi estudar as implicações do clima e da cultura organizacional para a eficácia da criatividade e inovação dentro de uma organização de trabalho. Em virtude da necessidade de destacar-se tanto a criatividade e inovação por um lado, como também o controle por outro, optou-se por realizar uma pesquisa de campo em organização militar e a escolhida foi o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro - CBMERJ. Esta pesquisa fez uso tanto de instrumentos qualitativos, como também quantitativos e originalmente foi Tese de Doutorado em Psicologia Social, pela UERJ, do autor.
Categorias: Psicologia Social, Psicologia Organizacional & Industrial, Administração Prática, Psicologia, Educação, Administração
Palavras-chave: controle, criatividade, inovação, inventividade, organizações, trabalho

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial