Ser Escritor

Blog Ser Escritor - Este blog tem por objetivo divulgar as obras literárias do Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira, proporcionar debate sobre as mesmas, abordar os temas tratados pelo autor em seus livros e apresentar dicas e informações para quem está querendo ser escritor. Ao final de cada postagem, clique nos marcadores para ter acesso a outras sobre o mesmo tema. Deixe seus comentarios aos posts, é simples, não é difícil. Você é bem vindo!

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Silvério da Costa Oliveira é Doutor (PhD) e Mestre em Psicologia; Psicólogo, Bacharel em Psicologia, Bacharel em Filosofia, possui a Licenciatura Plena em Psicologia e a Licenciatura Plena em Filosofia, possui a Licenciatura pelo MEC em História e Sociologia, autor de vários livros e artigos, conferencista. Sua formação está estruturada sobre três pilares: a Filosofia, a História e a Psicologia.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Uso de drogas durante a gravidez


Por: Silvério da Costa Oliveira.

----- Original Message -----
Subject: parabenizando
Inicialmente que parabeniza-lo pelo seu trabalho, dedicação voltado para todos aqueles que desejam aprimorar seus conhecimentos através de suas experiências, conseguindo com isso fortalecer o seu curriculo.
Estou fazendo a minha monografia que tem o título AS CONSEQUENCIAS DO USO DO ALCOOL E TABACO NA GRAVIDEZ, será possível indicar algum livro bem específico? outra se voce tem algum questionário que eu possa complementar com o meu será rico.
 Agradeço e um forte abraço,
 “K.P.”

Sugiro a consulta e leitura do “Catálogo bibliográficos sobre sexo”, do “Catálogo bibliográfico sobre drogas”, do livro “Sexo, sexualidade e sociedade”, do livro “Falando sobre sexo”, do livro “Falando sobre drogas”, todos estes em meu site no formato livro eletrônico em PDF. Cabe também buscar nas livrarias meu livro “Conversando sobre as drogas”, que em breve terá uma nova edição. Em particular indico a leitura do capítulo 6 “Gravidez e parto” de meu livro “Sexo, sexualidade e sociedade”, bem como do capítulo 1 “Os fármacos, o café e o tabaco” e do capítulo 2 “O álcool e o alcoolismo” de meu livro “Conversando sobre as drogas”.
Inicialmente agradeci a “K.P.” pelos comentários gentis sobre meu trabalho e site. Indiquei os trabalhos acima e informei que em meu site, no “Catálogo bibliográfico sobre drogas” encontrará uma bibliografia completa sobre drogas, 965 títulos separados por tema e com localização nas bibliotecas do Rio de Janeiro.
O uso de qualquer substância durante a gravidez poderá afetar o desenvolvimento e ter influência futura na criança. Durante a gravidez o embrião (como é chamado da segunda à sétima semana após a fecundação) e o feto (como é chamado da oitava semana após a fecundação até o nascimento da criança) são afetados pelo que a mãe come e bebe, bem como pelos estados emocionais desta mãe. Para evitar problemas, deve-se abster do uso de qualquer tipo de drogas, sejam estas lícitas ou ilícitas. Mesmo remédios vendidos nas farmácias ou drogarias podem exercer um efeito nefasto sobre a gravidez. Se a mulher fuma (tabaco, maconha ou qualquer outra coisa) a futura criança dentro de sua barriga fuma também, pois esta está ligada à mãe pelo cordão umbilical e placenta, havendo uma constante troca com as substâncias presentes no sangue da mãe.
Se a mãe usa tranqüilizantes estes também afetam a futura criança e o mesmo ocorre com o álcool e demais drogas. Mães que usam drogas podem dar a luz crianças sofrendo pela falta da substância (síndrome de abstinência) com o rompimento do cordão umbilical. Fenômenos tais como dependência e tolerância não somente afetam a mãe, como também em maior escala a futura criança que esta carrega consigo no interior de seu corpo.
Claro está que toda gravidez deve ser acompanhada por um médico e que qualquer medicação que a mãe necessite tomar deverá ter a atenção deste mesmo médico para que o mesmo possa interromper ou modificar a medicação se necessário for.
Os cuidados que a mãe possa tomar durante a gestação podem influenciar todo o ciclo de vida da pessoa, daí a enorme importância desta etapa da vida. A ingestão de drogas pela mãe durante este período pode ser altamente prejudicial. O álcool, por exemplo, quando usado pela mãe durante a gestação pode propiciar o nascimento de crianças com síndrome alcoólica fetal, gerando crescimento retardado no pré e pós-natal, má formações faciais e corporais e distúrbios do sistema nervoso central. Mesmo em doses moderadas (uma a duas doses de álcool por dia) o consumo de álcool durante a gestação pode ocasionar retardamento do crescimento fetal.
Quando a mãe fuma esta está levando para o seu organismo diversas substâncias nocivas, não somente a nicotina. Fumar pode ser altamente danoso para a mãe e para o embrião ou feto, podendo afetar negativamente o desenvolvimento e até mesmo a sobrevivência desta futura criança. A criança pode nascer com diversas conseqüências decorrentes do uso do tabaco pela mãe, dentre as quais podemos destacar: peso abaixo do ideal, necessidade de assistência médica ao nascer, morte antes do nascimento ou logo após o mesmo, etc. Dificuldades de aprendizagem durante o período escolar, falta de atenção, hiperatividade, problemas sociais e outros podem ser decorrentes do uso de tabaco e outras drogas durante a gestação.

PERGUNTA: Você compreende o quanto é importante o cuidado durante a gestação com as substâncias ingeridas pela mãe? Quando a mãe fuma, bebe, usa qualquer medicamento ou drogas lícitas ou ilícitas a criança faz o mesmo. Você consegue imaginar a criança dentro do útero materno fumando ou usando cocaína? Imagina as conseqüências que isto possa ter? Lembre-se de que se algo afeta a mãe, que é um adulto, deverá ter um efeito maior no embrião ou feto que ainda está se desenvolvendo. Qual a sua opinião?

Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira.
(Respeite os Direitos Autorais – Respeite a autoria do texto – Todo autor tem o direito de ter seu nome citado junto aos textos de sua autoria)

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger Marcinha Girola disse...

Pra quem já passou por uma gravidez, eu sei sim. Tomava remédio só com a indicação do médico, e ainda sim, morria de medo de usá-los. Bem no começo da gravidez, levei uma picada de inseto na perda e como sou alérgica a um tanto de coisas, minha perna ficou um horror, e quando li a bula da pomada... eu usava bem pouquinho. Outra situação, foi uns pontinhos vermelhos que saíram só na barriga... O remédio era o de menor miligrama... e deveria ser tomado um durante 3 dias. Só tomei um. (Ainda bem que ao menos melhorou... rs) E só assim, uma semana antes do baby nascer, teve o churrasco de fim de ano na escola, que eu tomei uma cervejinha... (tá certo, foi mais de uma...) Mas é que foi irresistível... Todo mundo tomando, aquele calor... (Só uma professora que disse que eu era muito louca e que beber a cerveja poderia adiantar o parto.) E mesmo depois da gravidez, é preciso cuidar do que come, bebe ou usa, afinal, através da amamentação, a mulher continua alimentando o bebê com todas as substâncias que faz uso. Felizmente, a recompensa a gente vê todos os dias: meu filho está cheio de saúde, disposição e sorriso no rosto.

domingo, 17 de fevereiro de 2008 13:15:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial