Ser Escritor

Blog Ser Escritor - Este blog tem por objetivo divulgar as obras literárias do Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira, proporcionar debate sobre as mesmas, abordar os temas tratados pelo autor em seus livros e apresentar dicas e informações para quem está querendo ser escritor. Ao final de cada postagem, clique nos marcadores para ter acesso a outras sobre o mesmo tema. Deixe seus comentarios aos posts, é simples, não é difícil. Você é bem vindo!

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Silvério da Costa Oliveira é Doutor (PhD) e Mestre em Psicologia; Psicólogo, Bacharel em Psicologia, Bacharel em Filosofia, possui a Licenciatura Plena em Psicologia e a Licenciatura Plena em Filosofia, possui a Licenciatura pelo MEC em História e Sociologia, autor de vários livros e artigos, conferencista. Sua formação está estruturada sobre três pilares: a Filosofia, a História e a Psicologia.

sábado, 8 de dezembro de 2007

Sou travesti



Por: Silvério da Costa Oliveira.

----- Original Message -----
Subject: (Dúvidas) Por favor responda
Oi Dr, gostei muito do seu site e parece ser atencioso, minha duvida é a seguinte: Sou travesti, e tomo hormonios a muitos anos, e sempre ouvi falar que se uma travesti toma hormonios femininos não poderia exacular (gozar) por que estaria "pondo para fora" os hormonios ingeridos, ou seja os hormonios num organismo masculino seria eliminado pela exaculação, isso é verdade??
Poxa, sei q deve ser muito ocupado mas perca um tempinho em responder esse e-mail por favor pois é muito importante para mim, muito obrigada desde já agradeço (muito simpatico seu site)
“P.T.”

Acima, mas um dos e-mails que constantemente recebo. Neste caso, cabe lembrar de meus trabalhos em meu site sobre o tema da sexualidade, o “Catálogo bibliográfico sobre sexo” e os livros “Sexo, sexualidade e sociedade” e “Falando sobre sexo”. Neste caso em particular, penso que seria interessante à leitura do capítulo 1 “O psicólogo clínico e o problema da transexualidade” de meu livro “Falando sobre sexo”.
Comecei minha resposta agradecendo pelas palavras carinhosas e procurei demonstrar que estava feliz por “P.T.” ter gostado de meu site na Internet. Indiquei, também, as leituras acima mencionadas, pois, penso que a informação é parte integrante de qualquer tratamento bem sucedido.
Primeiramente é preciso saber onde “P.T.” se encaixa, no seu caso, “P.T.”
já se definiu como travesti e pelo pouco que falou parece-me à indicação
correta. Em segundo lugar, cabe definir o que “P.T.” quer, quais alterações em
seu corpo “P.T.” deseja e quais não deseja e a seguir seria interessante
buscar acompanhamento médico. Veja bem, cada mudança tem uma indicação, como, por exemplo, para afinar a voz uma pequena cirurgia pode ser adequada, para
ampliar as mamas o uso de silicone e assim por diante como você bem o sabe.
Exercícios físicos em academia podem ajudar a definir o corpo e o uso de
hormônios sob prescrição médica pode ser indicado também. Cabe, portanto, uma
consulta com um médico especialista para acompanhar as mudanças desejadas e
saber qual a indicação medicamentosa seria mais apropriada.
Qualquer alteração de vulto no organismo, como as que “P.T.” está se propondo a realizar necessita de um acompanhamento médico presencial, não basta somente uma consulta a material escrito ou a seus conhecidos. Medicamentos podem ter efeitos distintos em distintos organismos, daí a necessidade de acompanhamento profissional e do enorme perigo da automedicação. O indivíduo se automedicando pode vir a encontrar aquilo que não está buscando e não quer e não aquilo que o motivou inicialmente a começar por conta própria seja qual for o tratamento.

PERGUNTA: Na sua opinião, como a nossa sociedade convive com a sexualidade do travesti?

Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira.
(Respeite os Direitos Autorais – Respeite a autoria do texto – Todo autor tem o direito de ter seu nome citado junto aos textos de sua autoria)

Marcadores:

3 Comentários:

Blogger Marcinha Girola disse...

Não convive.
Ainda é muito preconceituosa. Basta alguém ver um travesti na rua, já começam as piadas, as pessoas encaram, riem... Fazem comentários de muito mau gosto. E alguns travestis parecem ter esse preconceito ainda mais aflorado. Tem alguns anos, eu morava no centro de Curitiba, e no prédio, muitos moradores são homossexuais ou travestis. Chegando na frente do prédio, não pude deixar de notar a chegada de dois travestis, e eu apenas reparei a maquiagem de um deles, pois era tão bonita, e ele tinha um rosto tão grande, que eu pensei que estivesse usando uma máscara. Já foi logo perguntando o que eu estava olhando. Respondi que estava apenas admirando como seu rosto era muito bonito.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 13:04:00 BRST  
Anonymous marta disse...

Silvério, ser travesti não é fácil, a sociedade não aceita quem é diferente...a sociedade é muito preconceituosa...talvez daqui há uns cem anos...talvez as pessoas possam se assumir e ser o que quiserem ser...por enquanto é só preconceito...
abraço...
marta

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007 17:04:00 BRST  
Blogger Dinho Fonseca disse...

Concordo com você Eu tenho muita vontade de me trasformar e tenho muitas amigas travestis (belíssimas, por sinal). Mas existe realmente muito preconceit e falta de respeito tanto por pasrte da sociedade hétero, quanto no meio homossexual. Travesti tambèm è ser humano, na realidade, ao veu ver, é uma alma feminina, que teve a má sorte de nascer em um coorpo masculino. Por isso fazemos de tudo para sermos o mais femininas possível. O mercado de trabalho discrimina escancaradamente tanto os homossexuais do tipo bofes, quanto travestis . Porém, para as travestis fica ainda mais difícil ser respeitada na sociedade,e também conseguir um emprego de alto nível. Geralmente (salvo alguns casos, é claro) sobra para as travestis, trabalhos em casa de família, saloes ou entao quando nao consegue nenhum dos dois, vender o corpo. O engracado, é que antigamente, os travestis tinham até mais status do que nos dias de hoje. Nos tempos de nossos pais e avós, por serem considerados como algo exótico, eram muito melhor tratados do que atualmente. Por isso eu ainda nao sou completamente realizada, porque enquanto eu nao conseguir uma estabilidade pprofissional e financeira, nao posso ainda tomar essa decisao de forma afoita. Até comecei a tomar perlutan, mas tive que parar, pois meus seios comecaram a chamar atencao e e algo irreversivel. Portanto dei uma pausa, enquanto ainda estao pequenos e dá para disfarcar. ppode-se dizer, que eu fique um pouquinho mais forte e meu peito se desenvolveu um pouco. mas minha intencao é daqui para o final de 2013, me transformar.

PS: desculpa a falta de acentuacao, pois o notebook que eu estou usando é da Espanha, e por isso, nao existem certos caracteres.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012 02:06:00 BRST  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial