Ser Escritor

Blog Ser Escritor - Este blog tem por objetivo divulgar as obras literárias do Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira, proporcionar debate sobre as mesmas, abordar os temas tratados pelo autor em seus livros e apresentar dicas e informações para quem está querendo ser escritor. Ao final de cada postagem, clique nos marcadores para ter acesso a outras sobre o mesmo tema. Deixe seus comentarios aos posts, é simples, não é difícil. Você é bem vindo!

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Silvério da Costa Oliveira é Doutor (PhD) e Mestre em Psicologia; Psicólogo, Bacharel em Psicologia, Bacharel em Filosofia, possui a Licenciatura Plena em Psicologia e a Licenciatura Plena em Filosofia, possui a Licenciatura pelo MEC em História e Sociologia, autor de vários livros e artigos, conferencista. Sua formação está estruturada sobre três pilares: a Filosofia, a História e a Psicologia.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O sucesso literário

Por: Silvério da Costa Oliveira.

Certa vez escrevi um texto sobre este tema, que sugiro que o leitor leia para proporcionar mais material para o debate deste assunto. Refiro-me ao capítulo 12 “Estudo teórico sobre o sucesso literário”, de meu livro: “Reflexões filosóficas: Uma pequena introdução à filosofia” (em meu site).
Penso que um ponto intrigante é porque alguns poucos livros fazem estrondoso sucesso em meio a um verdadeiro enxame de livros que são publicados no mesmo período. Analisando-se estas obras podemos encontrar alguns denominadores comuns que podem favorecer a nossa compreensão deste fenômeno.
Por vezes o sucesso de determinada obra é tão grande que todos conhecem seus personagens, mas tem dificuldade em lembrar o nome dos autores, tal é o caso de personagens como Sherlock Holmes e Dr. Watson, o primeiro livro em que tais personagens apareceram data de 1887 e intitulava-se “A study in scarlat”, mas pergunto eu a você, meu amigo e minha amiga, quem é o autor da obra?
Tudo bem, talvez você tenha acertado, talvez não, mas que tal então um autor mais recente e um personagem que surgiu pela primeira vez em 1953, no livro intitulado “Casino Royale”, o agente secreto James Bond, 007, do MI6, saberia agora você me responder o nome do autor? Talvez você saiba, mas mesmo assim há de concordar que muita gente não o sabe e o que eu quero dizer com isto é que há casos em que o personagem criado se torna bem maior e mais conhecido que o autor criador.
Penso que um dos fatores importantes pelo sucesso de um trabalho literário que envolva personagens é o envolvimento do leitor na trama, tornando-o um participante ativo. O leitor precisa se identificar com um personagem dentro da trama, e tudo bem que todos queiram ser o herói, mas, as vezes o herói tem tantas características sobre-humanas que se torna difícil tal identificação e o leitor para evitar ficar constrangido diante de sua própria insignificância frente a tal ser maravilhoso e perfeito, vai buscar refúgio temporário em outro personagem mais humano ou em uma característica por demais humana do personagem principal, como, por exemplo, alguma idiossincrasia ou doença tragicômica. Vemos que Sherlock Holmes traz sempre ao seu lado seu fiel escudeiro Dr. Watson, por sua vez, um personagem da TV que se inspira em Holmes, o Monk da série de mesmo nome, apela para um lado tragicômico e doentio do personagem principal.
Por tal meio forma-se um triângulo amoroso literário, onde uma das pontas é ocupado pelo leitor, outra ponta por todas as características positivas do personagem principal que o destacam do restante da humanidade, e por fim, a terceira ponta é ocupada por algo ou alguém que permita um ponto de refúgio para o leitor em sua simples humanidade.
Mas nem todos os livros se prendem ao entretenimento, há o grande sucesso de vendas oriundo de outro triângulo, no qual cada uma das três respectivas pontas é ocupada a sua vez por: 1- Mensagem/informação, 2- Necessidade, 3- Leitor. Tal é o caso dos livros universitários, dos livros didáticos, dos dicionários, dos atlas, etc. Também aqui podemos colocar obras que vão ao encontro de uma necessidade social e histórica vinculada a determinada época, como ocorre hoje com os livros de auto-ajuda e sobre misticismo, que satisfazem uma necessidade de grande número de leitores.
Mas o leitor não está presente como uma das pontas do circuito em todas as formas de sucesso literário, tal é o caso de outro triângulo, onde temos: 1- Polêmico, 2- Revolucionário, 3- Inovador. Neste caso o que temos é um grande impacto social que força o consumo temporário de determinada obra, mas deixe-me ressaltar novamente o aspecto temporário desta forma de sucesso. O principal motivo deste sucesso não ser permanente é a ausência do leitor no circuito, não havendo participação e identificação do leitor com a obra, não haverá permanência no tempo da mesma.
Claro está, também, que fatores individuais presentes ao autor, como, por exemplo, sua personalidade e posição social, podem influir no sucesso da obra, bem como, a conjuntura sócio-política da sociedade em determinado momento histórico ou mesmo a divulgação que a obra possa ter tido pelos respectivos canais de mídia.
Uma obra literária está destinada para um determinado público leitor e como tal, o sucesso será decorrente do encontro desta obra com este público. Pode ocorrer, no entanto, que uma obra seja escrita destinada a um momento passado ou futuro. Bem, se a obra é destinada a um momento passado esta não terá como chegar aos seus destinatários, mas se a mesma é destinada a um momento futuro, então, haverá um momento em que o publico leitor irá descobrir a obra e esta fará enorme sucesso, neste tocante, não faltam casos históricos para ilustrar isto, mas citarei somente um, o filósofo Nietzsche.
Não somente as pessoas são diferentes, como também as sociedades possuem culturas diferentes e pode bem ocorrer de uma obra estar mais propensa a agradar determinada sociedade e cultura do que outra, de modo que possa encontrar sucesso em um lugar e fracasso em outro. Obras literárias também são destinadas a determinados públicos e não a todos, afinal, nem todos gostam dos mesmos gêneros ou estilos literários e o que possa parecer eletrizante para uns, pode parecer enfadonho para outros. O encontro da obra com seu público é fator determinante para o sucesso.

PERGUNTA: Porque uma obra literária obtém enorme sucesso enquanto outra fracassa diante do mercado?

Prof. Dr. Silvério da Costa Oliveira.
(Respeite os Direitos Autorais – Respeite a autoria do texto – Todo autor tem o direito de ter seu nome citado junto aos textos de sua autoria)

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger Marcinha Girola disse...

Depois de dois dias pensando nisso, criei coragem pra responder.
Penso que dependendo da ponta onde eu esteja ou olhe, vamos ter várias respostas. Como escritora, aprendi que é possível ter sucesso escrevendo poesia, para isso, é preciso ter em mente, o público-alvo a quem se destina, e, mais do que isso, falar sobre coisas novas. Ou se for escrever sobre uma coisa que já existe, que seja feita de uma forma mais original e criativa, menos óbvia. Como já trabalhei em editora, eu diria que a relação depende do marketing em função da "aplicabilidade" do tema no dia-a-dia. Como leitora, vejo vários aspectos: custo-benefício, interesse-marketing, indicação-aplicação, pesquisa-obrigação entre outros. Dificilmente eu vejo pessoas lendo algo pelo simples fato de querer ler, ou porque o título ou capa de um livro lhe chamou a atenção, (como acontece comigo) lêem pelo fato quantitativo, nem sempre qualitativo. Por ser muito comentado, ou por ser best-seller, deixando de lado, muitos gêneros textuais importantes em vários sentidos.

domingo, 28 de outubro de 2007 18:37:00 BRST  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial